Pular para o conteúdo principal

Vereador Mauro Riquelme sugere a inclusão da disciplina de Educação Financeira e Cidadania nas escolas


Com as diversas crises financeiras que ocorreram mundialmente nos últimos anos, mostra-se a necessidade de preparar melhor os nossos jovens para lidar melhor com algo corriqueiro. Entender melhor o que acontece durante uma crise, o porquê da inflação e as suas consequências, entender a formação das taxas e a melhor aplicação de suas economias. 

A proposta visa promover a Educação Financeira e Cidadania nas escolas municipais. A primeira anseia em contribuir para o desenvolvimento dos alunos na área de planejamento, prevenção, poupança, investimento e consumo consciente.

No tocante a cidadania, visa ensinar os alunos de como é possível o exercício da cidadania, educando as crianças acerca dos três poderes, o que é cada um deles, suas competências e consequências. 

O vereador Mauro justifica a sua indicação afirmando que "assim teremos na grade educacional fundamental que é de competência municipal, cidadãos mais instruídos, com informações que só teríamos no ensino superior".

Texto informado pela assessoria

(Esta postagem faz parte da atividade intitulada "Vereador por um dia" no qual acadêmicos simulam o processo de proposição, discussão e votação de propostas legislativas. Para mais informações clique aqui).

Comentários

  1. Quanto mais cedo as informações forem repassadas e discutidas, consequentemente teremos adultos mais conscientes e responsáveis. Por isso, a inclusão dos temas ,no Ensino Fundamental, só irá enriquecer a grade curricular. Sabemos que os temas são discutidos como temas transversais, nas escolas,porém ,como não são obrigatórios, o assunto acaba não tendo muita ênfase. Portanto, grande investimento , se o município incluísse os assuntos ,na grade curricular .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A idéia é justamente inserir esse conteúdo de maneira gradativa na grade do ensino fundamental que compete ao município de acordo com a Constituição. Obrigado pelo feedback.

      Excluir
  2. Excelente projeto que visa qualificar a educação municipal, preparando o jovem aluno para os desafios que a vida adulta. De acordo com uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), 44,8% das pendências dos mais jovens têm como credores as instituições financeiras.
    Leia mais: https://extra.globo.com/noticias/economia/pesquisa-do-spc-aponta-que-45-das-dividas-dos-jovens-brasileiros-sao-de-bancos-22426613.html???#ixzz5EOcjJWvK
    stest

    Cuidar da vida financeira é cuidar do futuro de nossos jovens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inserir a cultura financeira em um país como o nosso é o modo de fomentar o impacto positivo na economia e consumo consciente do jovem adulto. Nos países de primeiro mundo essa política está inserida a muito tempo.

      Excluir
  3. Como educadora acredito na educação financeira desde pequenos, tornando adultos com consciência e responsabilidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Consequência positiva em escala macro, vários nichos vão absorver esses resultados positivos.

      Excluir
  4. boa iniciativa
    pois assim teremos jovens mais capacitados e conscientes para atuarem no mercado de trabalho e na sociedade como um todo.

    ResponderExcluir
  5. Como educadora achei o projeto excelente, acredito que com a inclusão da educação financeira e cidadania na grade curricular venhamos ter cidadãos críticos e conhecedores de seus direitos e deveres dentro da esfera municipal..Cidadania se constrói com subsídios baseados na educação de qualidade.

    ResponderExcluir
  6. Excelente iniciativa ! Vivemos num tempo em que as crianças estão muito mais espertas e evoluídas, estão diariamente “bombardeadas” de informações e constantemente aumentando as formas que chegam essas informações. Exatamente por isso, é que precisamos prepara-las para este mundo moderno, dando suportes para que elas se tornem seres pensantes que não aceitam qualquer realidade, que questionam e tenham argumentos condizentes para expor seu raciocínio e defender a sua “verdade”, que entendam como e porque tudo funciona, que tenham segurança e consciência para dizer sim ou não... e para que tudo isso de fato aconteça elas precisam ter contato desde cedo com a aprendizagem destes temas, desta forma sim teremos adultos conscientes e responsáveis, pois não basta ter a informação, tem que saber o que fazer com ela.

    ResponderExcluir
  7. A ideia é ótima, eu apoio. Todo conhecimento deve ser compartilhado, ainda mais sobre um assunto que interessa toda a sociedade, creio que ter a educação financeira somente depois dos 17 ou 18 anos é um erro já que são consumidores ao até empregados bem antes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Vereador Marcos Borges propõe debate sobre a leitura da bíblia nas reuniões da câmara de vereadores de Balneário Camboriú

O regimento interno da Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú prevê que nas reuniões ordinárias, após a conferência dos vereadores presentes, seja lido um trecho da Bíblia. Você concorda com essa prática?
O Brasil, segundo dados do IBGE de 2013, é o maior país católico do mundo, com aproximadamente 127 milhões de fiéis, o que representa 65% de toda população e 12% dos católicos de todo o mundo. A Constituição Federal de 1988, garante aos cidadãos vários direitos e garantias fundamentais, no seu artigo 5º, diz que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias.
Porém, a constituição também trata da organização do Estado, da política e da administração, o artigo 19 diz que é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios estabelecer cultos religiosos ou igre…

Vereador Mauro Riquelme indica que se exija ensino superior para os Comissionados

Projeto preza pela transparência quanto a escolaridade e atribuição aos comissionados. Tem como premissa regulamentar junto ao portal da transparência, gestão de pessoas a informação com escolaridade do comissionado, assim como requisitos mínimos de competência para o cargo exercido.

O projeto exige que seja incluso no portal da transparência do município a escolaridade e área de formação do comissionado, assim como inclusão de competências e atribuições (assim como servidores efetivos) do cargo que este estiver lotado.

Portanto, o comissionado terá requisitos objetivos para ser nomeado, extinguindo ou ao menos filtrando a competência técnica coerente com o cargo exercido.

Texto informado pela assessoria.
(Esta postagem faz parte da atividade intitulada "Vereador por um dia" no qual acadêmicos simulam o processo de proposição, discussão e votação de propostas legislativas. Para mais informações clique aqui).

Vereadora Juliana Camargo diz que a ausência de estacionamento público gera transtornos na cidade

Os moradores da cidade e os turistas que necessitam fazer compras, pagar contas, ir nas agências bancárias, enfim, ter acesso aos estabelecimentos da cidade, sentem a dificuldade de encontrar vagas de estacionamento, principalmente no período da alta temporada e feriados.
O Projeto de Lei que será proposto pela Vereadora Juliana Camargo visa criar uma alternativa para disponibilizar vagas de estacionamento para os moradores e turistas da cidade. A proposta deseja instituir no âmbito municipal o estacionamento público gratuito em terrenos ociosos. O projeto prevê a parceria entre a Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú com os proprietários desses terrenos, por meio de contrato, com objetivo de melhorar o acesso aos estabelecimentos comerciais e auxiliar na desobstrução das ruas.
Essa é uma reivindicação da população, principalmente dos comerciantes que possuem estabelecimentos no Centro, onde alegam que em decorrência da falta de estacionamento na cidade, os consumidores acabam s…